segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Frutas da estação

Nesta época do ano é impossível ignorar o perfume, a cor, o desenho e o sabor das frutas.
O ingá, provoca curiosidade, com suas vagens longas e frutos carnudos, é degustado mais por divertimento e distração, já que o sabor do seu fruto, um pouco sem graça, não é muito atrativo.
O caju-do-cerrado é capaz de provocar e deliciar os sentidos. Sua polpa macia, mistura acidez e doçura.
O ingá não tem uso culinário, já o caju tem recebido cada vez mais atenção dos chefs.
Nesta época do ano encontramos no pomar do nosso sítio estas frutas com características tão particulares e cada uma agrada a sua maneira. Nada melhor do que o começo da temporada das frutas para conhecer e experimentar estas delícias.

Ingá

Ingá é o fruto da ingazeira, planta da família das leguminosas e muito comum em regiões próximas a lagos e rios.
O nome ingá é de origem indígena, que significa “embebido, empapado, ensopado”, devido o aspecto aquoso que envolve as sementes. São conhecidas cerca de 300 espécies do gênero Ingá, todas produzem frutos em vagens grandes e verdes, com sulcos no sentido comprido, que podem atingir até 1m de comprimento dependendo da espécie, mas de forma geral grande parte das espécies possuem frutos com até cerca de 10-30cm de comprimento. A árvore pode chegar a uma altura de 15 metros, é muito utilizada para sombreamento dos cafezais. A planta prefere solos arenosos perto de rios. Com flores de coloração branco-esverdeada, a ingazeira frutifica praticamente em todo o ano.
A polpa da fruta é branca, levemente fibrosa e adocicada, bastante rica em sais minerais. Em geral, ela é consumida ao natural, pois não se presta a preparações culinárias. Também é usada na medicina caseira, sendo útil no tratamento da bronquite (xarope) e como cicatrizante (chá).
É na Floresta Amazônica que se encontra a maior diversidade de espécies do ingá. Além de ser encontrado no Brasil, o ingá também se desenvolve em outras regiões de clima neotropical, como México, Antilhas Maiores e Menores e outros países da América do Sul, como Venezuela, Colômbia, Equador, Peru, entre outros. As vagens de ingá podem ser encontradas facilmente em mercados das cidades da região Norte do Brasil.

Fonte:

Ingazeiro
Vagens de frutos
Ingá
Ingá - A fruta

Caju-do-Cerrado

Caju é uma fruta nativa do Brasil e o nome caju é oriundo da palavra indígena “acaiu”, que, em tupi, quer dizer “noz que se produz”.
O cajueiro é uma planta rústica, típica de regiões de clima tropical. Nas regiões de cerrado do Brasil Central as espécies nativas podem apresentar porte médio. As espécies do cerrado produzem pseudofrutos aromáticos conhecidos como cajuí, caju-do-campo, cajuzinho-do-campo, caju-do-cerrado, caju-rasteiro, caju-de-árvore-do-cerrado, que possuem sabor muito agradável e tamanho bem menor do que o caju produzido no Nordeste.

O cajuzinho-do-cerrado, é um fruto típico de campo sujo e de cerrado "sensu strito". Frutifica durante os períodos de outubro a novembro. Arvoreta tortuosa típica de cerrado, o cajueiro produz durante o auge da seca. É uma planta nativa do Brasil, ocorrendo no Piauí, em Goiás, Distrito Federal Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e São Paulo, mas principalmente no planalto central. Pode atingir cerca de 80cm. Caracteriza-se por vários ramos eretos com base num xilopódio (caule subterrâneo) desenvolvido e tem folhas ovado-lanceoladas. As flores podem ser brancas, róseas ou amarelas, com estrias roxas na base.

O pedúnculo ou pseudofruto do caju, é verrmelho vivo, sabor doce e ácido, claviforme, com polpa branca e suculenta. É consumido pelo sabor especial e pelo alto valor nutritivo, relacionado principalmente, ao elevado teor de vitamina C, fibras e compostos fenólicos. Além do potencial vitamínico, estes compostos conferem potencial antioxidante à polpa do caju. Esta propriedade biológica está associada à prevenção de doenças crônico-degenerativas, como problemas cardiovasculares, câncer e diabetes.
Assim como acontece no Nordeste do Brasil, na região Centro-Oeste a castanha de caju (uma noz de cor cinzenta e com forma de rim), que é o fruto verdadeiro, também é aproveitada para a produção da amêndoa, depois de descascada e torrada. As amêndoas de caju são ricas em proteínas e lipídeos.

Apesar da grande quantidade de cajueiros no campo, sua produção é limitada e se restringe às coletas manuais com objetivos pouco comerciais, destinadas a subsistência, degustação e lazer, colher cajuzinho no campo é uma atividade prazerosa.
Do fruto do caju-do-cerrado, além de consumi-lo ao natural, faz-se doces, sucos, geléias, sorvetes, licores etc. Existem diversos modos de se conservar o cajuzinho, o pequeno tamanho destes pedúnculos favorece a produção das famosas compotas e desidratados, também conhecidos como “passas” de caju.
Por fermentação fornece uma espécie de vinho ou aguardente, conhecido por comunidades indígenas como “cauim”.
De aparência exótica, aroma agradável e sabor singular, o caju é uma fruta perfeita para colorir, perfumar, enriquecer e diversificar pratos da culinária tropical.

Fonte:

Caju-do-Cerrado

15 comentários:

ameixa seca disse...

Caju já tinha visto... acho um fruto lindo. Aqui não temos e eu nem conheço o sabor, infelizmente!
Já o Ingá eu desconhecia por completo... é parecido com a fava :)

Canela disse...

Já tinha visto Ingá nas Caraíbas,mas não recordo qual era a designação,nem tão pouco a ilha...
O cajú freSco é dificil de encontrar aqui e muito caro!

Alcina disse...

Ongá nem nunca tinha ouvido falar, mas gostei das cores do caju, é bem mais bonito assim fresquinho, doque como nós o vemos por cá :-)
Bjs

Odete disse...

Ha quanto tempo nao via Inga. E caju eh uma fruta tao linda.
Por aqui nenhum dos dois.

Beijos

Mari Azevedo disse...

Lu, vc acredita que nunca o ingá, apesar de estar no Brasil... q vergonha! O caju fresquinho assim é delicioso demais da conta... como eu gosto de suco de caju, aff! Adorei teu post!
Bjãoooo

Andrea Dohashi disse...

Eu não conhecia o fruto de Ingá, já tinha ouvido falar!
O caju tem uma cor linda, e esse cim eu conhecia!
O Brasil é o paraíso, pena que muita gente ainda não entendeu isso!
Beijocas.

Valeria disse...

Luciana
Sou doida pra provar o ingá!!
Por aqui nos meus eventos quando mostro fotos da fruta do caju o pessoal fala que é páprica!!!E quando digo que é a fruta da semente de caju e provam o suco o pessoal cai de costas!!
Lindo seu post!!
Boa semana
Bjs

Kláudinha disse...

que bonitos.... nao conhecia mesmo... o caju só conhecia aquele fruto seco e salgado....

Eli disse...

Olá!
Moro em Balneário Camboriú SC, faz algumas semanas que assisti um programa em que mostraram o caju do serrado, era uma fruta bem pequena. Confesso que fiquei muito interessada em comprar uma arvorezinha daquelas. Hoje pesquisando na net encontrei seu site que achei muito interessante. Aqui na casa de meus pais temos muitas frutas plantas, a maioria em vaso algumas são hibridas. Por gentileza , eu gostaria se for possível de mais informações de por exemplo onde posso comprar um pé desse cajú do serra (aquele que o fruto é bem pequeno).
Desde já agradeço. Parabéns pelo seu Blog ele é demais

Eli

Gina disse...

Lu, já conhecia o ingá, mas não provei. Esses cajus são maravilhosos! Que riqueza de frutas temos por aqui, não é?
Voltei de viagem e agora consegui fazer meu post de retorno.
Bjs

Letrícia disse...

Ai, Lu, amo ingá! Já comeu o ingá paraense? Ele é maior, mais polpudo e super doce. AAAAiiii, que vontade!

Beijos!

Priscila L. Beneducci Afonso disse...

O meu marido ama comprar Caju fruta. Vem 2 caixinhas, cada uma com 3 só. Se ele ver este vermelho vivo, nossa. Até em mim deu vontade! Beijos da Pri

Ana disse...

NOssa Luciana....
Cajuzinho fez parte da minha infância lá em Brotas, como as pindaíbas que estão na foto do meu perfil.
E o ingá de metro conheci quando morei em Roraima.
Lindo este post.

Nysa disse...

é sempre bom conhecer coisas novas ;-) obrigada!

Luciana Macêdo disse...

* Oi amigas, no sítio temos várias frutíferas e a cada época do ano uma fruta diferente. É muito bom poder plantar e um dia colher. Bom, isso vale também em outro sentido, como plantar atenção, carinho, respeito e colher amizades como vocês. Obrigado pelas visitas e comentários.

Você Eli, quero desculpar-me pela demora em responder seu pedido. Infelizmente não conheço local de venda de cajueiro. Procurei também na internet e não encontrei nenhum endereço. Alguns pés que temos no sítio nós mesmos fizemos as mudas. Compramos a fruta, tiramos a castanha (a verdadeira fruta) e pusemos na terra com a metade dela para fora da terra, sem cobrir (a parte mais fina fica enterrada). Regamos e depois de algum tempo surgiu o broto, quando já estava grandinho passamos para o local definitivo. Sei que não é fácil achar caju (principalmente o que você quer) para comprar mas caso encontre você pode tentar fazer sua própria muda.
Fico triste em não poder ajudá-la. Volte sempre ao Cafezinho das Cinco, será um prazer recebe-la.

Beijinhos para todas.